Categorias

Apresentações - Projetos

A NY BODY

O ERRO embarca no dia 26 de abril para pesquisar no Hemispheric Institute of Performance and Politics e apresentar performance inédita em festival pelo Projeto Persistência.

ERRO Grupo realiza residência no Hemispheric Institute of Performance and Politics

O ERRO desembarca nos Estados Unidos onde, a partir da próxima semana, empreenderá uma agenda de residências, pesquisas e orientações no Hemispheric Institute of Performance and Politics, em Nova York. No dia 29, o ERRO marcará presença no Festival Pen World Voices para apresentar a performance ainda inédita A NY Body. Esta é a quarta investida do grupo nesse país (terceira em NY e uma em Austin em 2007) e a viagem integra o calendário de atividades do projeto Persistência: atividades de fomento local e manutenção, que foi contemplado pelo Prêmio Catarinense de Teatro – Edital Elisabete Anderle de Incentivo à Cultura 2014.

O grupo permanecerá em Nova York irá até o dia 8 de maio. O diretor e dramaturgo Pedro Bennaton adianta que o objetivo da residência no Hemispheric Institute é “debruçar-se sobre um dos maiores arquivos sobre performance e política no mundo, incluindo materiais de Augusto Boal (dramaturgo e ensaísta brasileiro, 1931-2009)”. Lá estarão também sob a orientação da professora Diana Taylor, uma das principais expoentes nos estudos da performance no mundo.

A parceria entre o ERRO Grupo e a instituição nova-iorquina completará uma década no próximo ano. Em 2007, o grupo participou do 6º Encuentro Corpolíticas/BodyPolitics: Formations of Race, Class and Gender in the Americas com a intervenção urbana Segredo: a arte de manobrar, concebida por Luana Raiter e executada por Pedro Bennaton, em Buenos Aires. Continuou em 2009, durante o 7º Encuentro Staging Citizenship: Performance and Politics of Cultural Rights, em Bogotá, com a ação Protesto Portátil, de Luana Raiter e Pedro Bennaton. Em 2011, o grupo levou a peça Formas de Brincar e ministrou uma oficina no 8º Encuentro Cities | Bodies | Action: The Politics of Passion in the Americas, que ocorreu em São Paulo. A mais recente atuação dos catarinenses em um destes “encuentros” ocorreu em 2014, em Montreal, sendo que a próxima escala será em Santiago do Chile, em julho deste ano.

Em solo norte-americano, o ERRO realizou em 2007 a peça Adelaide Fontana e a performance Games of Babylon, em 2013, a oficina Invisible Action Against Invisible Power e apresentou a performance PEDRA, na Times Square, no Zuccoti Park e na Times Square com Broadway Street. No ano seguinte, o diretor Pedro Bennaton retornou à cidade, desta vez como co-organizador de um grupo de trabalho no HEMI GSI – Convergence – Bodies-In-Transit: Articulating the Americas (and Beyond).

DSC_1260

A NY BODY

O grupo de Florianópolis é aguardado também no PEN World Voices Festival, que reunirá mais de 150 autores e artistas de 30 países em Nova York. A carta na manga dos catarinenses é a performance A NY Body, pensada especialmente para a ocasião e que será encenada no dia 29 de abril na rua Washington Mews. O PEN World Voices abordará como temática central a cultura literária do México, propondo novas formas de se pensar questões de migração, de fronteira e de identidade nacional. A programação do festival também se globalizou, promovendo uma rede de conversas, leituras, performances e oficinas com artistas emergentes e importantes de outras partes do planeta.

More than 150 writers from 30 countries in venues from Lower Manhattan and Harlem to The Bronx, Queens, and Brooklyn. Meet the creative voices shaping Mexico’s literary culture, and rethink the stories of migration, the border and national identity through the illuminating lens offered by writers and artists. In addition to the Mexico-themed programming, the festival offers a globally inspired array of conversations, readings, performances, and workshops, featuring rare New York appearances by leading and emerging authors from around the globe.

http://worldvoices.pen.org/erro-grupo

http://worldvoices.pen.org/

Sobre o Hemispheric Institute of Performance and Politics

O Instituto Hemisférico de Performance e Política é uma rede multilíngue e interdisciplinar de instituições, artistas, acadêmicos e ativistas políticos de todas as partes das Américas. Trabalhando na interseção entre a academia, a expressão artística e a política, a organização explora as práticas do corpo — a performance — como veículo para a criação de novos significados e a transmissão de valores culturais, de memória e de identidade. Ancorado em seu foco geográfico nas Américas (e por isso “hemisférico”) e nos seus três idiomas de trabalho (inglês, espanhol e português), o Instituto fomenta a interação e a colaboração acadêmica, artística e pedagógica entre pessoas interessadas na relação entre performance e política no hemisfério.

http://hemisphericinstitute.org/hemi/

Hemi connects major scholars, artists, and activists working at the intersection of artistic practice and social transformation. Focusing on urgent issues of our time—from human rights and migration to racial, economic, and gender inequalities—we research politically engaged performance through gatherings, publications, and digital platforms in order to create new avenues for thought and action. Based at NYU, we have built a network that spans the Americas. Our growing community includes 42 member universities, over 20 arts and cultural centers, related human rights and social justice organizations, and thousands of individuals who participate in our programs.

 

Sobre a performance A NY BODY

All bodies are fragile, all bodies are strong, and all bodies are like everybody else. Anybody is a NY body. But some bodies are more real than others. Not as precarious as others, more valuable than others. The treatment of a body differs according to everybody, anybody, somebody else’s culture.

Todos os corpos são frágeis, todos os corpos são fortes, e todos os corpos são como todos os outros. Qualquer pessoa é qualquer corpo. Mas alguns corpos são mais reais do que outros. Não tão precários como outros, mas mais valiosos do que outros. O tratamento de um corpo difere de acordo com todo mundo, ninguém, e a cultura de outra pessoa.

DSC04316