Obra

Autodrama

AUTODRAMA consiste em uma interferência urbana construída através da utilização de quatro carros de som que propagam textos dramáticos dialogando entre si e atuando em movimento por um local específico da cidade, assim como por suas ruas próximas.

Contemplado pelo Prêmio FUNARTE Artes Cênicas na Rua – 2009, promovido pela FUNARTE – Fundação Nacional de Artes.

AUTODRAMA circulou por diversos percursos urbanos de 13 cidades de duas regiões brasileiras (Sul e Sudeste), abrangendo os estados de Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná e São Paulo, respectivamente nos municípios de Florianópolis, São José, Biguaçu, Palhoça, Santo Amaro da Imperatriz, Itapema, Antônio Carlos, Canoas, Porto Alegre, Curitiba, São José dos Pinhais, Campinas e São Paulo.

A dramaturgia de AUTODRAMA foi realizada a partir de releituras e cruzamentos de quatro peças teatrais, Macbeth de Shakespeare, Mateus e Mateusa de Qorpo Santo, Ascensão e queda da cidade de Mahagonny de Brecht, e Fuenteovejuna de Lope de Veja, entrelaçados a textos de leis burocráticas, filosóficos e de auto-ajuda.

Autodrama - 2010
Júlia Amaral
Imagem 1 de 6

Durante a ação, AUTODRAMA ocorre em uma rótula, largo ou praça da cidade que comporte um bom fluxo de veículos e pedestres, o cenário e adereços de cena são integrados aos automóveis que, em trânsito, são meios de atuação e de propagação sonora. A praça, rótula ou largo, e ruas próximas, se transformam em palco e estacionamento para os quatro carros atores e integrantes da ação.

You need to install or upgrade Flash Player to view this content, install or upgrade by clicking here.
Prêmio Funarte Artes Cênicas na Rua 2009
Turnê pelas regiões Sul e Sudeste – Janeiro a Abril de 2010

O ERRO Grupo com AUTODRAMA busca a reflexão sobre o habitat urbano criando um deslocamento dos mecanismos de marketing e propaganda para fomentar um questionamento político, social, ambiental e cultural. Ao propagar gravações de diálogos dramáticos realizados por atores, através das trilhas sonoras e da movimentação desses carros em avenidas e ruas da cidade, a peça cria caminhos e espaços dramáticos de conflito e de relações entre os carros, as pessoas, os transeuntes, o teatro e a cidade, apropriando-se das possibilidades oferecidas pela performance-art, das extensões do corpo em ações artísticas e subvertendo estratégias contemporâneas de comunicação.

Ao explorar a rua, AUTODRAMA busca questionar, subverter e oferecer novas ferramentas para fins culturais e de propagação de conhecimento na apropriação de meios tecnológicos utilizados pelo marketing. Ao se inserir nos tráfegos urbanos e se diluir nas vias públicas, oferecendo um contato pouco usual com uma obra artística, AUTODRAMA se justifica pela necessidade do ERRO em aproximar arte e vida, de entender a cultura como algo inerente a vida e, portanto, em se apropriar estrategicamente de formas inseridas no cotidiano das pessoas, para re-significar tanto o lugar sacramentado da arte quanto sua interferência nos fluxos urbanos.

FICHA TÉCNICA
Concepção: Luana Raiter
Dramaturgia: Luana Raiter e Pedro Bennaton
Atores, vozes e motoristas: Ana Paula Cardozo, Luana Raiter, Michel Marques, Pedro Bennaton, Rodrigo Sember e carro de mensagem ao vivo
Pesquisa Sonora (eletro-mecânica): Michel Marques, Pedro Bennaton e Rodrigo Sember
Sonoplastia: Luana Raiter e Pedro Bennaton
Design Gráfico: Luana Raiter
Fotos: Júlia Amaral
Assessoria de imprensa: Ana Letícia da Rosa
Web-design: Obra / Tecnologia
Produção executiva: Ana Paula Cardozo e Luana Raiter
Produção: ERRO Grupo e Meio-fio Cultural