Obra

Autodrama

AUTODRAMA consiste em uma interferência urbana construída através da utilização de quatro carros de som que propagam textos dramáticos dialogando entre si e atuando em movimento por um local específico da cidade, assim como por suas ruas próximas.

(ENGLISH BELOW)

Contemplado pelo Prêmio FUNARTE Artes Cênicas na Rua – 2009, promovido pela FUNARTE – Fundação Nacional de Artes.

AUTODRAMA circulou por diversos percursos urbanos de 13 cidades de duas regiões brasileiras (Sul e Sudeste), abrangendo os estados de Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná e São Paulo, respectivamente nos municípios de Florianópolis, São José, Biguaçu, Palhoça, Santo Amaro da Imperatriz, Itapema, Antônio Carlos, Canoas, Porto Alegre, Curitiba, São José dos Pinhais, Campinas e São Paulo.

A dramaturgia de AUTODRAMA foi realizada a partir de releituras e cruzamentos de quatro peças teatrais, Macbeth de Shakespeare, Mateus e Mateusa de Qorpo Santo, Ascensão e queda da cidade de Mahagonny de Brecht, e Fuenteovejuna de Lope de Veja, entrelaçados a textos de leis burocráticas, filosóficos e de auto-ajuda.

Autodrama - 2010

Picture 1 of 6

Júlia Amaral

Durante a ação, AUTODRAMA ocorre em uma rótula, largo ou praça da cidade que comporte um bom fluxo de veículos e pedestres, o cenário e adereços de cena são integrados aos automóveis que, em trânsito, são meios de atuação e de propagação sonora. A praça, rótula ou largo, e ruas próximas, se transformam em palco e estacionamento para os quatro carros atores e integrantes da ação.

You need to install or upgrade Flash Player to view this content, install or upgrade by clicking here.
Prêmio Funarte Artes Cênicas na Rua 2009
Turnê pelas regiões Sul e Sudeste – Janeiro a Abril de 2010

O ERRO Grupo com AUTODRAMA busca a reflexão sobre o habitat urbano criando um deslocamento dos mecanismos de marketing e propaganda para fomentar um questionamento político, social, ambiental e cultural. Ao propagar gravações de diálogos dramáticos realizados por atores, através das trilhas sonoras e da movimentação desses carros em avenidas e ruas da cidade, a peça cria caminhos e espaços dramáticos de conflito e de relações entre os carros, as pessoas, os transeuntes, o teatro e a cidade, apropriando-se das possibilidades oferecidas pela performance-art, das extensões do corpo em ações artísticas e subvertendo estratégias contemporâneas de comunicação.

Ao explorar a rua, AUTODRAMA busca questionar, subverter e oferecer novas ferramentas para fins culturais e de propagação de conhecimento na apropriação de meios tecnológicos utilizados pelo marketing. Ao se inserir nos tráfegos urbanos e se diluir nas vias públicas, oferecendo um contato pouco usual com uma obra artística, AUTODRAMA se justifica pela necessidade do ERRO em aproximar arte e vida, de entender a cultura como algo inerente a vida e, portanto, em se apropriar estrategicamente de formas inseridas no cotidiano das pessoas, para re-significar tanto o lugar sacramentado da arte quanto sua interferência nos fluxos urbanos.

FICHA TÉCNICA
Concepção: Luana Raiter
Dramaturgia: Luana Raiter e Pedro Bennaton
Atores, vozes e motoristas: Ana Paula Cardozo, Luana Raiter, Michel Marques, Pedro Bennaton, Rodrigo Sember e carro de mensagem ao vivo
Pesquisa Sonora (eletro-mecânica): Michel Marques, Pedro Bennaton e Rodrigo Sember
Sonoplastia: Luana Raiter e Pedro Bennaton
Design Gráfico: Luana Raiter
Fotos: Júlia Amaral
Assessoria de imprensa: Ana Letícia da Rosa
Web-design: Obra / Tecnologia
Produção executiva: Ana Paula Cardozo e Luana Raiter
Produção: ERRO Grupo e Meio-fio Cultural

 

AUTODRAMA consists of an urban interference built through the use of four sound-cars that propagate dramatic texts dialoguing with each other and acting in movement in a specific place of the city, as well as by its nearby streets. 

Awarded by the prize FUNARTE Artes Cênicas na Rua – 2009, promoted by FUNARTE – National Arts Foundation.

AUTODRAMA circulated through several urban routes in 13 cities of two Brazilian regions (South and Southeast), covering the states of Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná and São Paulo, respectively in the municipalities of Florianópolis, São José, Biguaçu, Palhoça, Santo Amaro da Imperatriz, Itapema, Antônio Carlos, Canoas, Porto Alegre, Curitiba, São José dos Pinhais, Campinas and São Paulo.

The dramaturgy of AUTODRAMA was made from re-readings and crossings of four plays, Shakespeare’s Macbeth, Mateus e Mateusa by Qorpo Santo, Ascension and fall of the city of Mahagonny by Brecht, and Fuenteovejuna by Lope de Veja, intertwined with bureaucratic laws, philosophical and self-help texts. 

During the action, AUTODRAMA circulates in the a specified street or square of the city that has intense flow of vehicles and pedestrians, the scene and scene props are integrated to the automobiles that, in transit, are means of performance and of sound propagation. The roads and streets, become stage and parking for the four car actors and members of the action. 

ERRO Gruop with AUTODRAMA seeks to investigate the urban habitat by creating a displacement of the marketing and advertising mechanisms to foment a political, social, environmental and cultural questioning. By propagating recordings of dramatic dialogues performed by actors, through the soundtracks and the movement of these cars on avenues and streets of the city, the play creates paths and dramatic spaces of conflict and relationships between cars, people, passers-by, theater and the city, appropriating the possibilities offered by performance-art, the extensions of the body in artistic actions and subverting contemporary strategies of communication. 

While exploring the street, AUTODRAMA seeks to question, subvert and offer new tools for cultural purposes and propagation of knowledge in the appropriation of technological means used by marketing. By inserting itself into urban traffic and diluting itself on public roads, offering an unusual contact with an artistic work, AUTODRAMA is justified by the need of ERRO to bring art and life closer together, to understand culture as something inherent in life and therefore in to strategically appropriate forms embedded in the daily lives of people, to re-signify both the sacramental place of art and its interference in urban flows.

CREDITS

Conception: Luana Raiter

Dramaturgy: Luana Raiter and Pedro Bennaton

Actors, voices and drivers: Ana Paula Cardozo, Luana Raiter, Michel Marques, Pedro Bennaton, Rodrigo Sember and live message car

Sound research (electro-mechanics): Michel Marques, Pedro Bennaton and Rodrigo Sember

Sound Design: Luana Raiter and Pedro Bennaton

Graphic Design: Luana Raiter

Photos: Júlia Amaral

Press Assistant: Ana Letícia da Rosa

Web-design: Estudio Obra

Executive Production: Ana Paula Cardozo and Luana Raiter

Production: ERRO Group and Meio Fio Cultural