Obra

Buzkashi

Buzkashi não é um espetáculo. É uma interferência organizada que se desenvolve no espaço/tempo de uma rua, na medida em que os elementos desta se justapõem, com os elementos propostos pela intervenção.

“O alimento do herói é e se faz em uma armadilha, se faz herói através de um jogo… Por onde surgem os heróis? Os heróis criam seu próprio domínio, também denominam seus inimigos, e por isso detém o mando do jogo, a palavra de ordem.”

XIII Festival Nacional de Teatro - Curitiba, Paraná, 2004
Dayana Zdebsky
Imagem 1 de 24

“Um guerrilheiro pode andar até sete espaços, sem pagamento, isento de cartas de incidente e de barreiras criadas pelos espiões. Ele não pode ultrapassar outro líder.”

You need to install or upgrade Flash Player to view this content, install or upgrade by clicking here.
XIII Festival Nacional de Teatro – Curitiba – PR
Março de 2004

O elenco disputa um objeto, joga o jogo, e os performers realizam ações específicas, contínuas, reflexos. O texto são cruzamentos de pensamentos. As relações humanas cada vez mais se baseiam em interesses materiais, um incessante devir de objetos que afloram o único jogo. Da vida e da morte. Da festa e da guerra. Após sua estréia no 13o Festival de Teatro, Mostra Fringe, em Curitiba/PR março de 2004, seguida de apresentação na Mostra Palco Giratório do SESC em Florianópolis, Buzkashi participou do Projeto Palco Giratório SESC Nacional em outubro de 2004. Realizou apresentações em Salvador/BA e Macapá/AP e participou da Mostra Palco Giratório em Brasília/DF.

You need to install or upgrade Flash Player to view this content, install or upgrade by clicking here.
Atocha – 2004
Alai G. Diniz

Ficha Técnica
Elenco ou Jogadores: Luana Raiter e Michel Marques
Performers ou Reflexos: Júlia Amaral, Ana Paula Cardozo, Priscila Zaccaron, Dayana Zdebsky, Pedro Bennaton e Luiz Henrique Martins
Música: Atocha 2004, de Alai Garcia Diniz
Dramaturgia: Pedro Bennaton e Luana Raiter
Direção de arte: Júlia Amaral, Luana Raiter e Priscila Zaccaron
Diretor: Pedro Bennaton